Diabetes tem cura

Considerada como uma das doenças do século, o Diabetes tipo 2, tem acometido uma grande quantidade de pessoas. Cada vez mais pessoas passam a sofrer das restrições que essa síndrome metabólica impõe, algo bastante incômodo.

Quando alguém descobre que tem a doença é natural que se pergunte se afinal diabetes tem cura? A seguir vamos esclarecer porque os médicos consideram que não existe cura para essa doença.

Entendendo os tipos de diabetes

diabetes tem curaExiste dois tipos de diabetes, o diabetes tipo 1 e o diabetes tipo 2. O primeiro tipo se caracteriza por ser resultante de uma pré-disposição genética que faz com que o indivíduo não apresente a produção de insulina (hormônio secretado pelo pâncreas) que tem como função fazer com que a glicose (açúcar presente no sangue) seja enviada para dentro das células para ser convertido em energia.

Nesse tipo de diabetes não há a menor possibilidade de cura uma vez que não tem como fazer com que o corpo possa produzir insulina.

Esses pacientes precisam injetar insulina em seu organismo para que ele funcione corretamente. Já o diabetes tipo 2 surge devido a uma produção baixa de insulina ou pela ação ineficaz da mesma (chamada de resistência a insulina). Nesses casos o organismo produz insulina, mas de maneira inadequada e são usados medicamentos para contornar a situação.

Quem tem diabetes tipo 1 e diabetes tipo 2?

diabetes tipo 2 tratamento naturalO diabetes tipo 1 costuma se manifestar ainda durante a infância e tem como principal motivação a herança genética. O tipo 2 do diabetes pode acometer qualquer pessoa, mas quem é obeso, hipertenso e passou dos 45 anos tem mais chances.

O estilo de vida moderno é responsabilizado pelo fato dessa doença ter se tornado uma verdadeira epidemia. As pessoas estão muito mais sedentárias e se alimentando mal o que contribui para as suas chances de desenvolver esse tipo de diabetes.

O que os médicos dizem?

Os médicos são taxativos ao dizer que diabetes não tem cura, contudo, não há motivo para desanimo uma vez que é possível não só conviver com essa doença como fazer com que os seus principais sintomas regridam. Para conseguir manter a doença sob controle é necessário que os diabéticos tenham um estilo de vida saudável e sigam a risca o tratamento médico.

Estilo de vida

obesidade fator de risco para DiabetesUma maneira de conseguir reduzir os sintomas do diabetes tipo 2 no organismo é manter um estilo de vida saudável. Isso inclui a realização de atividade física bem como uma alimentação adequada e equilibrada.

Evitar alimentos que podem causar picos glicêmicos é uma forma de proteger o seu organismo contra os problemas que a diabetes pode causar.

Casos que trouxeram esperança

A ideia de que diabetes pode ter cura surgiu a partir da observação de alguns casos clínicos. Alguns indivíduos que passaram por cirurgias de redução do estômago apresentaram em alguns casos desaparecimento completo dos sintomas do diabetes tipo 2. Contudo, a ciência ainda não sabe explicar porque isso aconteceu e se esses resultados serão definitivos.

Uma explicação possível é que essas pessoas desenvolveram diabetes por causa dos problemas de excesso de peso. Com isso quando o problema do peso foi resolvido se resolveu também o fator que desencadeou a doença.

controle de peso para evitar doençasEmbora os médicos ainda não saibam como explicar totalmente já se tem certeza de que obesidade é um importante fator de risco para o desenvolvimento de diabetes.

Esteja de bem com a balança

Uma forma de garantir que seu corpo estará saudável é se manter em paz com a balança. Quem tem sobrepeso agrava os problemas decorrentes do diabetes podendo ainda desenvolver doenças que estão associadas como hipertensão.

O sobrepeso é um dos principais problemas de saúde pública dos últimos anos. Existe uma luta constante para evitar que as populações se tornem obesas, mas parece que essa luta ainda não surtiu os efeitos esperados.

Como é feito o diagnóstico de diabetes?

a cura do diabetes pela alimentação viva pdfAlguns sintomas dessa doença podem ser facilmente observados, destacamos sede excessiva, cansaço, vontade de urinar mais vezes, sensação constante de fome, ferimentos que demoram muito para cicatrizar, visão turva entre outros.

Para diagnosticar o diabetes os médicos se valem de três tipos de exames que são:

Glicemia de Jejum - Que tem como objetivo verificar quanto de glicose está presente no sangue quando o organismo está em jejum.

Curva Glicêmica - É um exame que visa verificar a velocidade de absorção da glicose pelo corpo.

Hemoglobina Glicada - Tem como objetivo conferir qual a fração de hemoglobina que se ligou a glicose.

Atenção ao pré-diabetes

A condição conhecida como pré-diabetes é a fase anterior ao desenvolvimento do diabetes tipo 2. O diabetes tipo 1 não possui essa fase porque se trata de uma doença definida por herança genética. Quando o diabetes está nessa fase o indivíduo ainda não desenvolveu a doença, ele está num momento entre ser saudável e ser diabético.

Existe esperança para uma pessoa que se encontra nesse caminho porque é possível mudar o seu estilo de vida com o objetivo de reduzir suas chances de desenvolver a doença. Contudo, pode ser um pouco complexo diagnosticar esse quadro já que ele não possui sintomas como o próprio diabetes possui. Manter consultas regulares com um médico é uma forma de ficar a par das suas condições de saúde.

Outro ponto que deve ser observado é que pessoas que tem histórico de diabetes na família devem ter cuidados ainda mais intensivos, pois casos na família é um dos principais fatores de risco.

Outros importantes fatores de risco são estar acima do peso e apresentar hipertensão. Vários estudos sugerem que ter hipertensão é um indicativo forte de diabetes e vice-versa embora a ciência ainda não tenha estabilidade uma ligação explicável entre as duas doenças.

Cuide bem da sua saúde

como evitar o pré diabetesPara garantir que você esteja com a sua saúde sempre em dia é essencial ficar atento a ter uma alimentação rica em nutrientes assim como manter atividades físicas constantes. Preste atenção a pequenas mudanças que podem se mostrar sinais de que algo não está indo bem. Ninguém conhece seu corpo e o funcionamento do seu organismo melhor do que você.